Meu barco tem Jesus

Texto base - João 8.22

O capítulo 8 do livro de João nos traz uma passagem muito conhecida, mas que sempre tem um poder de reflexão inquestionável. Trata-se de uma grande tempestade que assola o barco dos discípulos. Antes disso, Jesus dá uma ordem para que todos os que estavam com Ele passassem à outra margem. Isso quer dizer que se Jesus falou, se cumprirá. Foi o que aconteceu.

Interessante pensar é que quando a ordem foi dada ninguém questionou. Às vezes somos assim, obedientes. Na primeira ordem de Jesus estamos partindo, porém, ninguém se perguntou como estariam as condições climáticas, se o tempo era favorável. Fato é que haviam muitos pescadores com ele.

Uma pergunta retórica se apresenta a nós nesse texto: O barco naufragaria com Jesus dentro? A resposta todos sabemos: não. A tempestade não tinha esse poder? Na verdade, tinha, mas quem estava no barco era Aquele que controla tudo, que fez os céus e a terra.

Outro fato que nos chama atenção é quem estava no comando? A palavra diz: Navegando eles. Jesus adormece, cansado, mostrando seu lado humano. Foram horas e horas pregando, curando e libertando. Mas, seu corpo estava cansado e Ele dormiu. Mesmo dormindo, Jesus não perdeu o controle da situação. Muitas vezes, achamos que Deus dormiu, se esqueceu de nós. Não é verdade, Deus está sempre cuidando de nós, nos mínimos detalhes.

A mesma passagem no livro de Marcos cita a presença de outros barcos com eles. Mas o texto deixa a entender que só o que estava com Jesus foi assolado. Na nossa vida é assim. A presença de Jesus não nos garante ausência de tempestades. Pelo contrário, ao assumir um compromisso com Deus, viramos alvo de um inimigo faceiro e astuto. Porém, temos a certeza de que Ele está conosco no barco.

Quando a tempestade se levanta, os que estavam no barco tremem de medo. Mesmo alguns sendo pescadores experientes - o que aumenta a nossa ideia da força daqueles ventos - o temor é geral. Nesses momentos de tribulação e mar revolto só há um caminho: eles se achegaram a Jesus. Oração,  jejum, estudo da palavra. O despertaram. O desperte você também. Eles o chamaram de mestre. Isso nos mostra que só esse nome deve ser clamado: Jesus.

A súplica daqueles homens é mais sincera possível: estamos perecendo. Jesus ama a sinceridade. Em suas orações não fique dando voltas em torno do assunto, vá direto ao ponto. Ele ama lhe ouvir. Jesus se levanta e coloca-se como Deus. Quando Deus se coloca em pé não há mal que suporte. A Palavra que sai da boca de Deus é definitiva. Jesus disse certa vez: "Nem só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que sai da boca de Deus".

Ele apaziguou a situação e, depois da tempestade,  a bonança. Esse é um espelho da nossa vida. Lutas se levantam, mas com Jesus no barco elas têm que cair. Jesus pergunta aos que estavam com ele: onde está a sua fé? Temendo e maravilhados eles ficaram: quando Deus nos responde, assim ficamos.

Uns falam aos outros aquilo que acabaram de presenciar. Isso significa que precisamos falar dos milagres de Deus, falar sobre Jesus, viver em comunhão. A pergunta final nos deixa a certeza de quem Ele foi, é e sempre será: o Todo Poderoso. Quem é este que até os ventos e a tempestade o obedecem? Jesus Cristo de Nazaré, nosso Salvador e Redentor. Amém.

Novembro Azul

Novembro Azul conscientiza sobre câncer de próstata

Estudo realizado este ano pela Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) apontou que 51% dos homens nunca consultaram um urologista. Doença mais prevalente nos homens, o câncer de próstata tem estimativa de 69 mil novos casos ao ano, ou seja, 7,8 novos casos a cada hora. A doença não tem prevenção, no entanto, seu diagnóstico precoce é essencial para o tratamento curativo. Hoje em dia, é possível até mesmo não retirar o tumor, quando ele é classificado de baixo risco, apenas acompanhar sua evolução, o que é chamado de vigilância ativa.

Para conscientizar a população da importância dos exames anuais a partir dos 50 anos, a Sociedade Brasileira de Urologia e o Instituto Lado a Lado pela Vida realizam o Novembro Azul. A campanha, idealizada pelo Instituto Lado a Lado Pela Vida, tem foco na conscientização do câncer de próstata no Brasil.

Ao longo do mês serão realizadas ações em todos os Estados brasileiros, que contemplam a iluminação de pontos turísticos e monumentos, palestras informativas para leigos, intervenções em locais de grande circulação.

“Pessoas da raça negra e quem tem familiares de primeiro grau que tiveram a doença devem procurar um urologista para avaliar a necessidade de iniciar seus exames a partir dos 45 anos”, alerta o presidente da SBU, Carlos Corradi. O exame da próstata consiste no toque retal e na dosagem sérica do PSA no sangue.

A realização de exames nessa faixa etária está relacionada à diminuição de cerca de 21% na mortalidade pela doença em estudos de grande porte e longo seguimento.

“O urologista é o profissional médico capaz de diagnosticar e tratar a doença. Por vezes, o auxílio do oncologista e do radioterapeuta é necessário. Na maioria dos casos iniciais, o paciente não tem sintomas e só a avaliação rotineira com o exame de PSA e o toque retal permitem estabelecer a suspeita e prosseguir na investigação”, afirma o diretor de Comunicação da SBU, Carlos Sacomani.

Novidades

Atualmente, ao descobrir-se o câncer de próstata, é possível avaliar sua agressividade. “Nos últimos anos, estudos de imagem realizados em biópsias dos tumores possibilitam individualizar a doença e determinar o melhor tratamento para aquele caso”, afirma Corradi. Ao ser classificado como de baixo risco, pode ser indicado o tratamento de vigilância ativa, metodologia baseada na observação da evolução do quadro sem intervenções terapêuticas quando o câncer é classificado como indolente e o paciente se enquadra em uma série de requisitos.

Até 2010, ao descobrir-se um câncer de próstata em estágio avançado, o tratamento era paliativo. A partir de então começaram a surgir diversos medicamentos que proporcionam sobrevida e uma melhor qualidade de vida ao paciente. “Recentemente chegaram ao Brasil quatro medicamentos que podem prolongar a vida em média de 4 a 6 meses cada um deles. Eles atuam retardando a progressão do tumor”, afirma o coordenador do Departamento de Uro-oncologia da SBU, Lucas Nogueira.

O objetivo do Novembro Azul, no entanto, é diagnosticar casos no início, quando as chances de curam beiram 90%.

Fatores de risco:

done-2  Idade (cerca de 62% dos casos são de homens a partir dos 65 anos)
done-2  Histórico familiar
done-2  Raça (maior incidência entre os negros)
done-2  Alimentação inadequada, à base de gordura animal e deficiente em frutas, verduras, legumes e grãos
done-2  Sedentarismo
done-2  Obesidade

Sintomas (só aparecem nos casos avançados):

done-2  Vontade de urinar com urgência
done-2  Dificuldade para urinar
done-2  Levantar-se várias vezes à noite para ir ao banheiro
done-2  Dor óssea
done-2  Queda do estado geral
done-2  Insuficiência renal
done-2  Dores fortes no corpo

Fonte: http://portaldaurologia.org.br

Outubro Rosa

O câncer de mama é o tipo mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil, depois do câncer de pele não melanoma. O câncer de mama também acomete homens, porém é raro, representando apenas 1% do total de casos da doença.

O câncer de mama pode ser detectado em fases iniciais, em grande parte dos casos, aumentando assim as chances de tratamento e cura.

É importante que as mulheres fiquem atentas a qualquer alteração suspeita na mama. Quando a mulher conhece bem suas mamas e se familiariza com o que é normal para ela, pode estar atenta a essas alterações e buscar o serviço de saúde para investigação diagnóstica.

O principal objetivo da campanha “Outubro Rosa” é combater, principalmente, o câncer de mama. Neste ano, a ação terá como tema “Câncer de mama: vamos falar sobre isso?”.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), são esperados 57.960 casos novos de câncer de mama este ano no Brasil. A idade é um dos mais importantes fatores de risco para a doença (cerca de quatro em cada cinco casos ocorrem após os 50 anos). Outros fatores que aumentam o risco da doença são fatores ambientais e comportamentais, fatores da história reprodutiva, hormonal, fatores genéticos e hereditários.

Em grande parte dos casos, o câncer de mama quando detectado em fases iniciais há mais chances de tratamento e cura. Todas as mulheres, independentemente da idade, podem conhecer seu corpo para saber o que é e o que não é normal em suas mamas. A maior parte dos cânceres de mama é descoberta pelas próprias mulheres.

Mamografia

Para mulheres entre 50 e 69 anos, a indicação do Ministério da Saúde é que a mamografia de rastreamento seja realizada a cada dois anos. Esse exame pode ajudar a identificar o câncer antes do surgimento dos sintomas.

O Sistema Único de Saúde (SUS) garante a oferta gratuita de exame de mamografia para as mulheres brasileiras em todas as faixas etárias. A recomendação, por parte dos médicos, é que a avaliação seja feita antes dos 35 anos somente em casos específicos.

 

 

 

Fonte: Coren MT

A IGREJA CAMINHA PELA FÉ

“Pela fé Enoque foi transladado para não ver a morte; não foi achado, porque Deus o transladara. Pois antes da sua transladação, obteve testemunho de haver agradado” (Hb 11:05).

 

Deus nos chamou para pertencemos a uma igreja, que se destaca pela fé; que não está firmada em conceitos humanos, porque foi gerada pelo Espírito Santo nos nossos corações e essa fé que nos conduzirá à eternidade.

Enoque é o tipo da igreja fiel, porque andou com Deus, ou seja, na revelação.

Enoque significa disciplina, e ele viveu 365, e da mesma forma Deus tem escolhidos servos que são obedientes e que andam 365 dias do ano na sua presença.

Por viver e andar na presença de Deus, caminhando pela fé, Enoque foi arrebatado antes do juízo de Deus. Da mesma forma, a igreja, não verá o juízo de Deus sobre este mundo, porque já estará para sempre com o Senhor da eternidade.

 

Diácono Jordy (Boletim Informativo ADNA Cáceres. ed. 067 – 01/11/2015)

Leia mais...